HISTÓRIA

A primeira Biblioteca Pública de Tondela nasceu em 1943, altura em que a poetisa Branca de Gonta Colaço, filha de Tomás Ribeiro, manifestou o desejo de criar em Tondela uma instituição que albergasse o espólio artístico e literário da família, que fosse simultaneamente “uma casa aberta a todos os que procurassem cultivar nos livros o seu espírito”.

Para o efeito criou-se uma comissão organizadora que foi enriquecendo a instituição com donativos vários. No que diz respeito às peças artísticas destacamos as obras de arte recolhidas por intermédio de Pedro de Figueiredo e as esculturas de Ana de Gonta Colaço.

A Biblioteca-Museu Tomaz Ribeiro adotou como timbre o velho brasão concelhio “Ao ton della” e o seu “ex-libris” foi imaginado e desenhado por Pedro de Figueiredo, sendo a sua legenda “Mens agitat molem”.

Instalada de início no edifício em frente aos Paços do Concelho onde em tempos funcionaram os serviços do Registo Civil, passou depois para a sala das sessões dos Paços do Concelho. A Biblioteca Fixa da Gulbenkian criada em 1960 coexistiu com a Biblioteca-Museu no edifício da Câmara Municipal e duas décadas mais tarde passou para a Casa de Sant’Ana, mantendo-se sempre aberta ao público até à construção do atual edifício, inaugurado em Setembro de 2001, em resultado do contrato-programa firmado entre Câmara Municipal e o Instituto Português do Livro e das Bibliotecas.

Autor do Mês

teolinda gersao

Teolinda Gersão

Teolinda Gersão (Teolinda Maria Sanches de Castilho Gersão Gomes Moreno) nasceu em Coimbra, a 30 de Janeiro de 1940. Estudou Germanística, Romanística e Anglística nas Universidades de Coimbra, Tübingen e Berlim. Foi Leitora de Português na Universidade Técnica de Berlim, assistente na Faculdade de Letras de Lisboa e depois de provas académicas professora catedrática da Universidade Nova de Lisboa, onde ensinou Literatura Alemã e Literatura Comparada.

Além da permanência de três anos na Alemanha viveu dois anos em São Paulo, Brasil e conheceu Moçambique, onde decorre o romance de 1997 "A Árvore das Palavras".

Desde cedo se dedicou à escrita. O seu primeiro livro, "Liliana" (contos), foi escrito aos 14 anos. Passados seis anos publicou "Poemas". Desde então, escreveu sobretudo romances, publicou até agora duas novelas "Os Teclados"e "Os Anjos" e duas colectâneas de contos "Histórias de Ver e Andar"e "A Mulher que prendeu a Chuva".

Foi escritora-residente na Universidade de Berkeley em 2004.

Consulte mais informação AQUI.