Encontro com Pedro Seromenho, escritor e ilustrador em Tondela

Cartaz Pedro SeromenhoCom o objetivo de assinalar o Mês das Bibliotecas Escolares, as bibliotecas da Rede de Bibliotecas de Tondela, com o apoio do Município, promovem o encontro do público escolar com o ilustrador e escritor Pedro Seromenho nas bibliotecas escolares e municipal do concelho.

Pedro Seromenho é um exímio criador e contador de histórias. Dirigidas aos alunos do 5º ano, e com o formato de “Hora do Conto ilustrada” as sessões do encontro com o escritor terão lugar no dia 26 de outubro às 9h15 e às 10h30 na Biblioteca Municipal Tomaz Ribeiro e às 14h00 na Biblioteca da Escola Básica 2,3 de Campo de Besteiros.

 

Pedro Seromenho – notas biográficas

De nacionalidade portuguesa, Pedro Seromenho Rocha nasceu em 1975 no Zimbabué, mas com dois anos de idade veio viver para Tavira e depois para Braga, onde reside atualmente.

Desde muito cedo demonstrou excecional talento para a pintura e a escrita, colaborando em inúmeras publicações e exposições como escritor e ilustrador. Embora formado em Economia, Pedro Seromenho dedica-se inteiramente a escrever e a ilustrar livros para várias editoras nacionais e brasileiras. Entre outros títulos escreveu "A Nascente de Tinta", "O Reino do Silêncio", “Chico fantástico, o super-herói de plástico”, “Felismina cartolina e João papelão”, “Porque é que os animais não conduzem”, “900 História de um rei”, “A fuga da ervilha”, “As gravatas do meu pai” e mais recentemente “A cidade que queria viver no campo”.

Apresentação do projeto pedagógico “Deixa o Bullying SÓ!” aos alunos de Tondela

Cartaz Tondela 10h30As bibliotecas da Rede de Bibliotecas de Tondela, com o apoio do Município, promovem no próximo dia 19 de outubro a apresentação do livro “Deixa o Bullying Só” aos alunos do 1º ciclo do concelho.

Esta ação decorre no âmbito do Mês das Bibliotecas Escolares e tem por objetivo sensibilizar as crianças do primeiro ciclo para o Bullying: de que forma se manifesta e como devemos agir perante as várias situações. A iniciativa contará com a presença do músico João Só, autor de quatro hinos contra o bullying inspirados nas histórias de banda desenhada que integram o livro, onde se poderão também encontrar as letras e as partituras das canções.

Editado pela Betweien o livro inclui quatro histórias em banda desenhada que exploram situações de violência em contexto escolar sob diferentes perspetivas: a perspetiva dos/as agressores/as, a perspetiva da vítima, a perspetiva das testemunhas e a perspetiva virtual. No livro o/a leitor/a encontrará, também, as histórias de BD desprovidas de texto, desafiando-o/a a dar um novo enredo às mesmas, alterando o comportamento dos seus intervenientes, no sentido de prevenir comportamentos agressivos.

As sessões terão lugar às 10h30 no Auditório 1 da ACERT, para os alunos do Agrupamento Cândido de Figueiredo e às 14h00 na Sala Polivalente da Escola Básica 2,3 de Campo de Besteiros, para os alunos do Agrupamento Tomaz Ribeiro.

João Só – Notas Biográficas

Cartaz Tondela 14h“A música é uma presença constante na sua vida pela mão da mãe, uma apaixonada por música, possuidora de uma voz invulgar, que desde cedo João ouviu interpretar muitas das sonoridades que ainda hoje o cativam. “Ob-la- di Ob-la- da” terão sido as primeiras sílabas escutadas a João Só e o testemunho do peso que a Lennon e MacCartney tiveram na sua aprendizagem musical.

Ainda teenager deu uso à sua extensa coleção de discos e iniciou-se como DJ. Rapidamente surgiram as solicitações para animar as festas de família, da escola ou 2 dos amigos, angariando rapidamente o suficiente para comprar as suas primeiras guitarras. Daí até à composição da sua primeira canção, aos 15 anos, - “A Marte” – e aos primeiros ensaios de “garagem” tudo ocorreu num ápice. Publicou o seu primeiro disco “João Só & Os Abandonados” em 2009, seguindo-se até à data mais três em nome próprio e um outro em parceria com Miguel Araújo.

Produziu e compôs para artistas como André Sardet, Carolina Deslandes ou Lúcia Moniz e tem no seu repertório êxitos como “Sorte Grande”, “Até ao fim”, “É pra ficar”, “Não é verdade” ou “Cara a Cara”, entre outros.”

 

 

Rádio Miúdos em Tondela

radio miudosChama-se “Põe a tua terra nos píncaros!” e é um concurso organizado pela Rádio Miúdos, em colaboração com a Rede de Bibliotecas Escolares, para todas as Escolas Públicas do centro do país.

Aberto a todas as escolas públicas dos 100 municípios desta região, o concurso “Põe a tua terra nos píncaros!” quer premiar a dedicação dos miúdos pela sua terra e descobrir quem tem boas ideias para fazer programas de rádio.

O concurso vai premiar seis escolas que irão produzir um programa para a Rádio Miúdos, com direito a ateliês e emissões ao vivo.

O desafio proposto para participação no “Põe a tua terra nos píncaros!” é a criação de um spot publicitário onde os miúdos dão a conhecer a sua terra.

 

RM Tondela

Em Tondela a autarquia já fez a sua inscrição, estando agora a aguardar a inscrição das escolas, através dos seus alunos do 2º ao 9ºano.

O concurso “Põe a tua terra nos píncaros!” insere-se no programa de atividades da Rádio Miúdos nas escolas, onde realizam ateliês de produção de rádio e emissões ao vivo em direto.

Trata-se também de incentivar a participação ativa na sociedade, através da rádio, sensibilizando os miúdos para a importância do património regional, material e imaterial, e de promover a relação entre as escolas e as autarquias.

“Põe a tua terra nos píncaros!” é organizado pela Rádio Miúdos e tem a colaboração da Rede de Bibliotecas Escolares e o apoio de “Portugal Inovação Social”, no âmbito do Portugal 2020, e da Fundação Calouste Gulbenkian.

A Rádio Miúdos é a primeira rádio em português para crianças. Com emissões exclusivamente online, pode ser ouvida 24/7 em www.radiomiudos.pt ou através da app (gratuita). Já chega a 171 países e territórios em todo o mundo e incentiva a participação todos os miúdos que falam português, seja qual for a parte do mundo em que vivem. Com muita música e histórias, sempre em português, e com programas lúdicos, educativos e culturais, a Rádio Miúdos também chama pais, professores e profissionais de várias áreas a participar.

Para além das emissões, a Rádio Miúdos sai para a rua com ateliês e emissões em escolas e eventos para autarquias, organizações/Instituições e Empresas.

Apresentação da obra "Estrada da Luz : Obra poética e Iconográfica de Branca de Gonta Colaço"

estrada da luz capaNo dia 23 de setembro, pelas 16 horas, realiza-se o lançamento do livro "Estrada da Luz: Obra poética e iconográfica de Branca de Gonta Colaço" na Biblioteca Municipal Tomaz Ribeiro, em Tondela.

A sessão contará com a presença das autoras, Drª Anabela de Campos Salgueiro e Drª Inês do Carmo Borges e da editora. A apresentação da obra estará a cargo da Professora Doutora Isabel Ponce de Leão.

Branca Eva de Gonta Syder Ribeiro nasceu em Lisboa em 1880, onde viria a morrer em 1945. Sendo filha do escritor e politico Tomaz Ribeiro e de Ann Charlotte Syder, Branca de Gonta Colaço manteve sempre fortes ligações a Parada de Gonta, onde passava temporadas, e a Tondela, onde contribuiu para a criação da primeira biblioteca pública, a Biblioteca-Museu Tomaz Ribeiro. Era casada com o pintor e ceramista Jorge Colaço. Branca cresceu num mundo artístico e cultural privilegiado, convivendo desde cedo com nomes de referência das artes e das letras e desde cedo revelando apetência e talento para a escrita. O gosto pelas artes e pelas letras teve continuidade nos seus filhos Tomás Ribeiro Colaço (escritor), Ana de Gonta Colaço (escultora) e Maria Cristina Colaço de Aguiar.

Essencialmente poetisa, Branca legou-nos um interessante conjunto de produção poética com destaque para os livros: Matinas (1907); Canções do Meio Dia (1912), Hora da Sesta (1918), Ultimas Canções (1926) Abençoada a Hora em que nasci (1945), muito bem acolhidos pela crítica e pelo público da época. Destacou-se também como conferencista, dramaturga e memorialista.

A obra "Estrada da Luz.." que agora se apresenta reúne o conjunto da produção poética de Branca de Gonta Colaço, enriquecida com documentação iconográfica (fotografias, retratos, cartas, dedicatórias) e informação biográfica e cronológica criteriosamente selecionada, refletindo a vida e a obra da poetisa e daqueles que lhe eram mais próximos.

Horário de Verão na Biblioteca Municipal

horario

 

Lembramos todos os utilizadores que, de 1 de julho a 16 de setembro, a Biblioteca Municipal Tomaz Ribeiro fecha aos sábados, domingos e feriados.

Mantém-se aberta de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 18h00, fechando para o almoço das 12h30 às 14h00.

 

 

Pág. 1 de 94

Autor do Mês

Alice Vieira

ALICE VIEIRA

Alice Vieira (Alice de Jesus Vieira Vassalo Pereira da Fonseca) nasceu em Lisboa a 20 de março de 1943. Frequentou o Liceu D. Filipa de Lencastre. Licenciou-se em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Escritora e jornalista profissional desde 1969, colaborou desde os treze anos no jornal "Diário de Lisboa" (onde juntamente com o seu marido Mário Castrim dirigiu o suplemento "Juvenil" e "Catraio"), no "Diário Popular" e no "Diário de Notícias". Colaborou em várias revistas e programas de televisão para crianças.

É considerada uma das mais importantes escritoras portuguesas de literatura infanto-juvenil,   tendo publicado cerca de  quatro dezenas de livros infantis e vendido perto de um milhão de exemplares.  As suas obras estão traduzidas em várias línguas, como o alemão, o búlgaro, o espanhol, o galego, o catalão, o francês, o húngaro, o holandês, o russo, o italiano, o chinês, o servo-croata e o coreano. É também autora de contos, romances, crónicas e poesia para adultos.

Consulte mais informação AQUI.