Concurso de Leitura Interconcelhio a 01 de junho

cartazprograma cliO Auditório Municipal de Tondela acolhe, no próximo dia 01 de junho pelas 15h, a 5ª edição do Concurso de Leitura Interconcelhio, este ano organizado pela Biblioteca Municipal Tomaz Ribeiro e pela Rede de Bibliotecas de Tondela.

O Concurso de Leitura Interconcelhio envolve as bibliotecas municipais, as escolas e as redes de bibliotecas escolares de cinco municípios: Carregal do Sal, Mortágua, Santa Comba Dão, Tábua e Tondela.
Inspirado no Concurso Nacional de Leitura, destina-se a alunos do 1.º ciclo (3º e 4º ano) e do 2.º ciclo (5º e 6º ano) e tem como principal objetivo estimular a prática da leitura entre os alunos do ensino básico e avaliar as suas competências leitoras.

Perrault n'O Som dos Livros

IMG 7495 editA Teresa, a Leonor, a Laura, a Inês e o Clemente, alunos do 6º ano da Escola Báscica de Tondela são os autores d'O Som dos Livros desta semana. Com a ajuda da sua professora de Português, escolheram uma obra do autor Charles Perrault, de nome «As Fadas». Ao longo do seu programa falam-nos um pouco do autor, lembrando que viveu durante o século XVII.

É conhecido como o pai da literatura infantil, sendo o autor de histórias que chegaram até nós tão conhecidas como «O Capuchinho Vermelho», «A Bela Adormecida», «O Gato das Botas», «Cinderela» ou «O Pequeno Polegar».IMG 7493 edit

Em 1695, aos 67 anos, perdeu o seu posto como secretário. Já idoso, resolveu registrar as histórias que ouvia a sua mãe e nos salões parisienses. O livro, publicado em 11 de janeiro de 1697, quando contava quase 69 anos, recebeu o nome de «Histórias ou contos do tempo passado com moralidades», mas também era chamado de "Contos da Velha" e "Contos da Cegonha", ficando, afinal, conhecido como "Contos da mamãe gansa". A publicação rompeu os limites literários da época e alcançou públicos de todos os cantos do planeta, além de marcar um novo gênero da literatura, oconto de fadas. Ao fazer isto, tornou-se o primeiro a dar um fim literário a estes tipos de histórias, antes apenas contadas entre as damas dos salões parisienses.fonte:wikipédia

Quando estamos a aproximarmo-nos do final do ano letivo, este foi o último programa produzido nesta escola do Agrupamento de Escolas Cândido Figueiredo. Em setembro haverá mais.

Até lá, podem ouvir tudo em podcast aqui:

botao ouvir agora

 

 

Encontros com a escritora Margarida Fonseca Santos na Biblioteca Municipal Tomás Ribeiro e na Escola Básica de Campo de Besteiros

Encontros com a escritora Margarida Fonseca Santos na Biblioteca Municipal Tomás Ribeiro e na Escola Básica de Campo de Besteiros

No dia 16 de junho, os alunos do 6º ano do concelho de Tondela tiveram o privilégio de conhecer a escritora Margarida Fonseca Santos, em dois encontros promovidos pela Biblioteca Municipal Tomás Ribeiro, com a colaboração das escolas.

A sessão da manhã, realizada na Biblioteca Municipal de Tondela, reuniu os alunos do 6º ano das Escolas Básicas de Tondela e da Lajeosa do Dão. Os alunos do 6º A da Escola Básica de Tondela deram as boas vindas à escritora e à audiência com a declamação de dois poemas, um de António Torrado e outro de Manuel Bandeira. A autora agradeceu a surpresa e contou uma história que prendeu a atenção de todos. Com simplicidade e simpatia, relatou o seu percurso pessoal e profissional e respondeu às questões colocadas pelos alunos, muito curiosos sobre a autora e os três livros que tinham trabalhado nas aulas: «Sem Rede», «Caixa da Gratidão» e «Bicicleta à Chuva». Seguiu-se uma sessão de autógrafos.

A sessão da tarde decorreu na Escola Básica de Campo de Besteiros e juntou os alunos do 6º ano desta escola e da Escola Básica do Caramulo. Antes de terminar, convidou os alunos a visitarem o blogue da sua autoria «Histórias em 77 palavras».

Margarida Fonseca Santos é uma das principais escritoras portuguesas da atualidade para crianças e jovens. Muitos dos seus livros fazem parte das listas do Plano Nacional de Leitura. Curiosamente, os prémios literários mais importantes que recebeu, na área do conto, do romance e da novela, dizem respeito à literatura para adultos.

A escrita foi um interesse tardio na sua vida, sendo a música e a matemática as suas primeiras paixões. Fez, assim, o Curso Superior de Piano do Conservatório Nacional e frequentou o curso de Engenharia. Lecionou depois a disciplina de Pedagogia na Escola Superior de Música de Lisboa. Só em 2005 é que passa a dedicar-se em exclusivo à produção literária. Em paralelo, dinamiza oficinas de escrita criativa, de escrita para teatro e de escrita para crianças e jovens na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Católica, na Restart e EC.ON Escrita Criativa Online.

A sua bibliografia é muito extensa, com mais de uma centena de livros publicados. Destes, Margarida Fonseca Santos elege três: o livro de contos «De Nome, Esperança», por considerar a melhor obra que escreveu e pela qual tem um carinho especial; o romance juvenil «Bicicleta à Chuva», onde aborda o bullying na perspetiva da vítima e do agressor; e o livro de contos «O Degrau de Cima».

Escreveu também vários livros em coautoria, nomeadamente, «Quero ser Escritor!», com Elsa Serra; acoleção«7 Irmãos», com Maria João Lopo de Carvalho; a coleção «As Aventuras de Colombo», com Maria Teresa Maia Gonzalez, e a coleção «Fábulas a Três Mãos», com Rita Vilela e Maria Teresa Maia Gonzalez.

«De Zero a Dez» é o seu romance mais recente, onde se debruça sobre a dor crónica, um problema com qual lida diariamente na primeira pessoa.

20190516 (1) (Copy)20190516 (7) (Copy)20190516 (21) (Copy)20190516 (39) (Copy)20190516 CB (12) (Copy)

«O Dia em que o Mar Desapareceu»

CARTAZHORADOCONTOfinalnet«Hora do Conto»

«O Dia em que o Mar Desapareceu»

A 5 de junho, celebra-se o Dia Mundial do Ambiente. Para assinalar a efeméride, nesse dia, pelas 10:30, a Biblioteca Municipal Tomaz Ribeiro vai apresentar, com a colaboração do Planalto Beirão, uma leitura interpretada do livro «O Dia em que o Mar Desapareceu», escrito por José Fanha. O intuito é consciencializar as crianças para os problemas ecológicos e ambientais do planeta.

Através dos descuidos de uma muito poluidora e maldosa família de pássaros bisnaus, conta-se a história de um mar muito azul que ficou sujo e morreu, mas que, por fim, conseguiu ser salvo, voltando a ser cheio de vidas marinhas e de cor.

A atividade insere-se no projeto «A Hora do Conto» e tem como público-alvo as crianças do pré-escolar. O objetivo é estimular, através da leitura e da dramatização de histórias, o contacto com os livros desde a tenra idade e o desenvolvimento da imaginação e da criatividade.

As inscrições são gratuitas e obrigatórias e devem ser previamente realizadas pelos educadores dos jardins de infância do concelho de Tondela através do e-mail da Biblioteca Municipal Tomaz Ribeiro ( Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ), por telefone (232811128) ou por telemóvel (917503206), com a indicação do número de participantes.

O Som dos Livros - O Rapaz do Pijama às Riscas

IMG 5903A Martinha, a Andreia, o Filipe e a Carlota são quatro amigos que esta semana nos prepararam uma edição d’O Som dos Livros sobre o Holocausto.

Alunos da turma do 8ºD da Escola Secundária de Tondela, estes amigos escolheram o livro “O Rapaz do Pijama às Riscas”, uma obra escrita por John Boyne, enquadrada no Plano Nacional de Leitura.

IMG 5901Trata-se de uma história de inocência de duas crianças num mundo de ignorância. Ao regressar da escola um dia, Bruno constata que as suas coisas estão a ser empacotadas. O seu pai tinha sido promovido no trabalho e toda a família tem de deixar a luxuosa casa onde vivia e mudar-se para outra cidade, onde Bruno não encontra ninguém com quem brincar nem nada para fazer. Pior do que isso, a nova casa é delimitada por uma vedação de arame que se estende a perder de vista e que o isola das pessoas que ele consegue ver, através da janela, do outro lado da vedação, as quais, curiosamente, usam todas um pijama às riscas. Como Bruno adora fazer explorações, certo dia, desobedecendo às ordens expressas do pai, resolve investigar até onde vai a vedação. É então que encontra um rapazinho mais ou menos da sua idade, vestido com o pijama às riscas que ele já tinha observado, e que em breve se torna o seu melhor amigo…

O programa é semanal e vai para o ar:

Rádio Emissora das Beiras - Todas as quartas-feiras pelas 09h20 e sábados pelas 12h30,  em 91.2 FM e em www.emissoradasbeiras.pt

Rádio Miúdos - Todas as sextas e domingos, às 10h e às 19h, em www.radiomiudos.pt

Poderá também escutar todas as rubricas, em podcast, aqui:

botao ouvir agora

Pág. 2 de 128

DESTAQUE

Alice Vieira

ALICE VIEIRA

Alice Vieira (Alice de Jesus Vieira Vassalo Pereira da Fonseca) nasceu em Lisboa a 20 de março de 1943. Frequentou o Liceu D. Filipa de Lencastre. Licenciou-se em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Escritora e jornalista profissional desde 1969, colaborou desde os treze anos no jornal "Diário de Lisboa" (onde juntamente com o seu marido Mário Castrim dirigiu o suplemento "Juvenil" e "Catraio"), no "Diário Popular" e no "Diário de Notícias". Colaborou em várias revistas e programas de televisão para crianças.

É considerada uma das mais importantes escritoras portuguesas de literatura infanto-juvenil,   tendo publicado cerca de  quatro dezenas de livros infantis e vendido perto de um milhão de exemplares.  As suas obras estão traduzidas em várias línguas, como o alemão, o búlgaro, o espanhol, o galego, o catalão, o francês, o húngaro, o holandês, o russo, o italiano, o chinês, o servo-croata e o coreano. É também autora de contos, romances, crónicas e poesia para adultos.

Consulte mais informação AQUI.